4 dicas práticas para o bem-estar interior e exterior


Beautiful girl with closed eyes swinging on swing against the sky and sea.

Conheça 4 dicas de bem-estar pela professora de yoga Sofia Zambujo.

Não existe uma receita mágica para conseguirmos relaxar a nossa mente. Algo como “faça isto ou aquilo e terá resultado garantido” não é real. Por incrível que pareça, não gostamos todos do mesmo. Acredite.

 

Surge, assim, a primeira dica que gostaria de partilhar: rir! Ter a capacidade de rir e de dar umas boas gargalhadas, com piadas secas ou não, e até de nós próprios. No fundo, trata-se de não nos levarmos demasiado a sério. É importante e determinante para o equilíbrio da mente.

No entanto, existem algumas sugestões que posso dar. Pensando no corpo, na mente e na alma, tente integrar estas dicas no seu dia-a-dia.

 

1.Medite

Não seja demasiado duro(a) consigo mesmo. Uns breves cinco minutos, de manhã ou ao final do dia, podem contribuir para que se sinta melhor. E se não sabe como meditar, veja outros artigos já publicados e encontrará todas as dicas sobre esta maravilha que é meditar. Se for sócio(a) do Holmes Place, tem à sua disposição uma diversidade de aulas de meditação, na sua App, em vídeos on demand. Permita que o corpo deixe de pensar e disperse a sua mente.

Verá transformações ao nível da força, do poder e da energia física e mental. A curto prazo vai adquirir uma mente mais robusta, mais intuitiva, maior lucidez na tomada de decisões em várias áreas do seu quotidiano. Use o seu poder para mais bem-estar e qualidade de vida.

Bem-estar praticar yoga

2. Pratique Yoga

Sabia que o Yoga pode ser considerado meditação em movimento? E se fica reticente sempre que pensa em Yoga, relembro que existem muitos estilos, tal como sabores de gelado. Se o chocolate não lhe agrada, poderá optar por manga. Procure até encontrar o estilo ou o instrutor com quem mais se identifica. O Yoga traz uma série de benefícios para a saúde física, através das posturas, que podem ser potenciadas com um maior controlo da respiração.

Não é por acaso que é uma prática com mais de cinco mil anos de existência e com tantos apaixonados(as)! Maior flexibilidade e equilíbrio; alívio do stress, de dores nas costas e articulações; melhor postura; respiração mais consciente e bem-estar psicológico: estes são apenas alguns exemplos do que podemos acrescentar de positivo à nossa vida.

Falando em posturas. Pode começar por uma bastante simples: colocar a cabeça abaixo do nível do coração, durante cerca de dois minutos ajuda a relaxar o corpo. Não é preciso complicar. Use a parede e a ajuda de almofadas – pode e deve manter-se confortável.

3. Conecte-se com a sua respiração

Faça-o lentamente, procure oxigenar bem o seu corpo e relaxá-lo. Treine-se. Experimente reter o ar nos pulmões e aumente a sua capacidade respiratória. Use, por exemplo, uma métrica de quatro tempos: “inspira, retém e expira, durante quatro segundos”. Se quiser aprofundar esta ou outras técnicas de respiração (pranayamas), encontrará informação em artigos que partilhei noutras edições.

Encontre o seu equilíbrio e cuide de si!

4. Relaxe o corpo

Aprenda a fazê-lo. Nas aulas de Yoga terminamos sempre com um relaxamento induzido, onde percorremos todo o corpo com a nossa atenção para ajudá-lo a descontrair. Relaxar o corpo ajuda a relaxar a mente. Dê especial atenção aos ombros, braços, pescoço e cabeça. Poderá ainda optar por massagens relaxantes (serviço que também encontra nos clubes Holmes Place).

Pratique estas dicas em ambientes tranquilos, com sons agradáveis. Na essência, um local prazeroso, onde se sinta confortável e seguro(a). O importante é conseguir desligar dos elementos que lhe proporcionam stress e procurar alternativas onde focar a atenção para descansar a mente.

A forma como vemos e levamos a vida exerce uma grande influência em nós e se conseguimos, ou não, atingir o equilíbrio do corpo e da mente. As atitudes que temos perante a vida formam o que denominamos estilo de vida: os nossos hábitos alimentares, o modo como respiramos, se dormimos as horas suficientes, como nos relacionamos com a família, amigos, colegas de trabalho, como equacionamos e procuramos resolver as interações dinâmicas que nos desafiam e nos exigem esforço.

A chave está na interação harmoniosa dos elementos que constituem o todo, o qual podemos designar equilíbrio holístico.

 

Sofia Zambujo |  Instagram

Group Trainer do Holmes Place

Mais artigos sobre Yoga no nosso site.

Artigo originalmente publicado na revista Reiki & Yoga Trimestral, nº29.

 

Anterior Reiki e Ho’oponopono: Cura e transformação
Seguinte 20 de julho | Dia do Amigo: Como se liga o reiki com a amizade?

Nenhum Comentário

Deixar um Comentário