A lição do tabaco – Estudos com conclusões preocupantes


Adult and child hands holding lung, world tuberculosis day, world no tobacco day, corona covid-19 virus, eco air pollution; organ donation concept

O Dia Mundial sem Tabaco comemora-se hoje, 31 de maio

Qualquer pessoa que duvide do impacto das escolhas de estilo de vida para o nosso risco coletivo só tem de olhar para o que aprendemos num passado não muito distante sobre a relação entre o cancro do pulmão e o tabagismo.

 

No início da década de 1960, um grupo de agências, do qual faziam parte a American Lung Association, a American Heart Association, a American Tuberculosis Association e a American Public Health Association, pressionou o presidente John F. Kennedy para resolver a crise de saúde pública que estava a ser causada pelo tabagismo. Em 1962, Kennedy tomou uma decisão e criou uma vasta aliança de especialistas que passaram dois anos a analisar mais de sete mil estudos e artigos científicos. Em 1964, o diretor-geral de saúde Luther L. Terry apresentou as descobertas do grupo.

Quando a verdade vem ao de cima…

A conclusão: o tabagismo era responsável por um aumento de 70% das taxas de mortalidade para fumadores relativamente a não fumadores. Desde então, o incansável trabalho de subsequentes diretores-gerais de saúde, de grupos de defesa da saúde pública e dos ativistas que estiveram na origem de bem-sucedidos e muito publicitados processos judiciais contra empresas tabaqueiras manteve a consciência pública do nexo causal entre o tabaco (mastigado ou fumado) e o cancro. No entanto, é alarmante que 15% da população dos E.U.A. continua a fumar e que as percentagens se mantenham extremamente elevadas em muitos países asiáticos, africanos, europeus e do Médio Oriente. A Austrália, que tem uma percentagem de fumadores comparável à dos E.U.A., numa tentativa de reduzir este número para zero continuará a aumentar regularmente os impostos sobre o tabaco até 2025, altura em que um maço de cigarros poderá custar 40 dólares. É sabido nos E.U.A. que um aumento de 10% num maço de cigarros resulta numa diminuição global de fumadores entre 2,5 e 5%, com a maioria dos estudos a apontar para uma descida média de 4,0%. Na Rússia, onde os cigarros são muito mais baratos, 60% dos homens e quase 40% da população em geral fuma.

 

Novos métodos prejudiciais

Além disso, deixámos que a indústria do tabaco se reinventasse com o advento da nicotina vaporizada (os cigarros eletrónicos), que trouxe consigo uma série de outros químicos que não foram devidamente testados, incluindo compostos químicos que estão associados ao cancro. Assim, apesar de as percentagens de jovens que começam a fumar cigarros terem diminuído, os adolescentes voltam-se agora para os cigarros eletrónicos como novo método de consumo de nicotina.

 

Causa direta de cancro

Também vale a pena referir que, embora as taxas de cancro do pulmão nos homens americanos tenham diminuído, as taxas de cancro do pulmão nas mulheres americanas continuavam a subir no início do século XXI e só recentemente começaram a diminuir um pouco. De novo, isto é provável porque o cancro do pulmão, da garganta e do esófago, bem como outros cancros associados ao tabaco são mais comuns em pessoas idosas, o que significa que as mulheres que começaram a fumar, digamos, durante as décadas de 1960 e 1970, poderão estar neste momento a enfrentar as consequências relacionadas com o cancro. Lamentavelmente, o tabaco não provoca apenas cancro do pulmão e está agora associado a 14 diferentes tipos de cancro.

Este reconhecimento de que o consumo tabágico é uma causa direta de cancro revolucionou a compreensão do público no que diz respeito às correlações entre comportamentos e doença. Passou a ser indiscutível que, no que toca ao cancro, as nossas ações importam, e esta consciencialização foi o ponto de partida para o novo ramo da prevenção do cancro, a procura de outros fatores de estilo de vida ou ambientais relacionados com o começo da doença.

 

Vida anti cancro - tabaco

Cohen, Prof. Dr. Lorenzo e Jefferies, Dra. Alison (2018) Vida anticancro. Lisboa: Lua de Papel

Mais artigos sobre o tema Saúde no nosso site.
Anterior 30 de Maio: Dia Mundial da Esclerose Múltipla
Seguinte 1 de Junho: dia da Criança - afinal o que é 'Educar pela positiva'?