Corpo de verão? Conheça estas sugestões refrescantes


Beetroot gazpacho, cold vegetable summer soup with cucumber, red bell pepper and tomatoes

Com a chegada do verão, surge a pressa de perder peso, a procura de dietas milagrosas e imensas conversas sobre nutrição em busca do chamado “corpo de verão”.

A nutricionista Ana Catarina Correia diz-lhe tudo o que precisa de saber para viver o verão de forma equilibrada e sem prejudicar a sua saúde ou bem-estar. “Proponho substituir os ‘corpos de verão’ por corpos saudáveis e sustentáveis, que priorizam a aceitação e a saúde, pelo que é necessária consistência ao longo dos dias, meses, anos, e não apenas nesta altura do ano em que a preocupação é bem mais evidente. Diariamente, transmito esta mensagem a quem acompanho – passar fome durante meses e treinar loucamente para depois parar assim que esse objetivo é alcançado não é saudável, nem sustentável.

Há que encarar a realidade, aceitar, adotar estratégias, mudar e ser consistente. Devemos trabalhar para corpos de ano inteiro, corpos de uma vida, e não de um momento.”

Se olharmos à nossa volta, a Natureza é muito inteligente e, nas diferentes épocas do ano, fornece-nos os alimentos que são mais ricos nos nutrientes de que necessitamos. Ao falarmos no verão, verificamos que os alimentos desta época são aqueles que apresentam teor de água mais elevado, assim como um conjunto de nutrientes importantes para manter um bronzeado bonito.

A vantagem dos alimentos ricos em água é que têm a capacidade de hidratar e de aumentar, em simultâneo, o aporte de vitaminas e minerais, sem adicionar muitas calorias.

 

Não se esqueça destas dicas:

  • Mantenha a hidratação. A água é essencial para o bom funcionamento do organismo. Participa em diversas reações metabólicas; transporta os nutrientes; ajuda a eliminar os resíduos e a zelar pelo equilíbrio dos órgãos – o desempenho do coração, a elasticidade da pele, entre outros –; e mantém a temperatura corporal, uma boa gestão do peso e até o bom humor, pelo que devemos assegurar as necessidades hídricas.
  • Evite as bebidas açucaradas e as bebidas alcoólicas. Prefira água e infusões sem adição de açúcar. Pode aromatizar a sua água, de forma natural, adicionando um pedaço de limão, laranja, morangos, canela e/ou hortelã.
  • Faça refeições levese mais frequentes. Evite refeições pesadas e muito condimentadas.
  • Não descure a sopa no verão. É uma boa forma de hidratar e pode optar por sopas frias – gaspacho, sopa de alho francês com hortelã ou sopa de cenoura e laranja.
  • A frutadeve ser consumida todo o ano e no verão não pode faltar. Deve ser a sobremesa de eleição e pode também ser consumida como lanche. Refrescante, sumarenta e de cor intensa, como a melancia, cerejas, morangos, melão, alperces, pêssegos, ameixas, figos ou uvas. Para além das vitaminas e das fibras, a fruta é rica em água e ajuda a manter a hidratação.
  • Gelados e outros doces são para consumir com moderação.

Corpo de verão? Conheça estas sugestões refrescantes

Refeições e snacks para a praia e piqueniques

O menu ideal para levar para a praia ou para um piquenique deve ser leve e rico em alimentos nutritivos, mas pobres em gordura para facilitar a digestão.

 

  • Opte por fazer as sanduíches com pão rico em fibras e cereais integrais (mistura, centeio). Guarneça a sanduíche com uma boa fonte de proteína, como frango, peru (por exemplo: lascas de peito de frango ou peru grelhados) ou atum em água. Inclua algumas folhas de alface, rúcula, cenoura ralada e acompanhe com outros vegetais, como tomate cherry, rabanete ou aipo previamente cortados. Também pode usar pão tipo pita ou wrap;
  • Nas saladas de frasco, combine as proteínas e os vegetais com massa integral, arroz ou leguminosas como grão, feijão-frade, lentilhas. Para temperar, use apenas uma pequena quantidade de azeite, limão/vinagre e ervas aromáticas, abolindo os molhos calóricos;
  • Frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, avelãs…);
  • Fruta fresca;
  • Palitos de vegetais (cenoura, pepino, aipo…);
  • Húmus;
  • Panquecas;
  • Tremoços;
  • Iogurtes;
  • Tortilhas de milho/arroz sem sal;

 

  • Alimentos a evitar:

Doces; alimentos muito ricos em sal e gorduras; bebidas alcoólicas ou gaseificadas que lideram o topo das opções a evitar na praia. Além de serem calóricos e nutricionalmente pouco interessantes, estes alimentos aumentam a sensação de sede e até a desidratação. Os molhos como a maionese, alimentos sensíveis à temperatura como o fiambre ou outros mal cozinhados devem ser evitados, já que tendem a deteriorar-se com o calor.

 

  • Transportar e conservar

Os alimentos devem ser preparados no próprio dia para assegurar uma maior frescura e o melhor sabor possíveis. A melhor forma de conservar alimentos é no frio. Por isso, é imprescindível preparar uma mala térmica/geleira com placas previamente congeladas. Quanto à água, um bom truque consiste em colocá-la no congelador na véspera.

 

Ana Catarina Correia |  Instagram

Nutricionista (2428N)

anacatarinacorreianutricionist@gmail.com

www.activcare.pt

 

Artigo publicado originalmente na revista Zen Energy Agosto, nº151.
Anterior Doenças da tiroide: como ter uma vida saudável?
Seguinte Óleos essenciais: Mulheres aromaticamente empoderadas