Guia de mulheres para a saúde e beleza após os 40


Beautiful woman and bowl with fruits in the bed

Hábitos que favorecem o envelhecimento saudável!

Mulheres com mais de 40 anos têm problemas de saúde específicos para tratar, incluindo nutrição, exercício, as escolhas de estilo de vida e testes de triagem de saúde. Aos 40 anos, e além de mulheres, são mais propensas a desenvolver doenças como hipertensão arterial, doenças cardíacas, osteoporose, diabetes, obesidade e artrite, muitos dos quais podem ser retardadas com hábitos de vida saudáveis.

Como o metabolismo diminui, existe uma tendência para acumular gordura, especialmente na região abdominal, que pode ser ajudada com uma dieta e exercício físico.

Orientações de exercícios

O exercício pode retardar ou prevenir alguns dos riscos para a saúde do envelhecimento. Ao se exercitar 30min ou 5 vezes por semana, pode aumentar o colesterol bom e reduzir o mau, queimar o excesso de gordura, produzir músculos e estimular o sistema imunológico. O exercício pode diminuir os sintomas da menopausa, como ondas de calor, alterações de humor, dor nas articulações, ansiedade, depressão e insónia. O exercício aeróbico, como caminhada rápida, dança ou correr pode ser útil, assim como, o treinamento de peso, o que aumenta a densidade óssea. Yoga e pilates melhoram a flexibilidade, a força do núcleo, equilíbrio e amplitude de movimento. (Para saber mais sobre os benefícios do exercício físico, veja a caixa ‘Exercício e longevidade’).

 

A ingestão calórica

O metabolismo não começa a desacelerar após os 40, assim as mulheres não podem comer tanto sem ganhar peso. A Associação Americana do Coração (American Heart Association) dá as seguintes necessidades calóricas para mulheres:

  • As mulheres sedentárias (31-50 anos) devem comer 1800 calorias por dia, as mulheres activas moderadamente, 2000 calorias; e mulheres activas, 2200 calorias.
  • As mulheres com 51 anos de idade ou mais velhas/sedentárias devem comer 1600 calorias por dia. As mulheres devem comer moderadamente activos 1800 calorias, e mulheres activas devem comer entre 2000 e 2200 calorias.

As mulheres devem concentra-se em frutas, vegetais, grãos integrais e lacticínios com pouca gordura e incluem carnes magras, aves, peixes, feijões, ovos e nozes. A alimentação deve ser pobre em gorduras saturadas, colesterol, sal e açúcar.

 

Sintomas a ter em atenção

Os seguintes sintomas podem ser inofensivos ou pode ser sinal de um problema mais sério. Dor nos gémeos pode significar uma distensão muscular, mas também pode sinalizar um coágulo de sangue. Sintomas de gripe podem ser apenas uma gripe ou pode significar um enfarte, se for acompanhado por falta de ar, pressão ou dor nas costas, braço ou queixo. Queimadura, formigueiro ou dormência nos pés podem ser causadas por sapatos apertados ou muito açúcar no sangue de pré-diabetes. A dor pélvica pode ser uma bactéria no estômago ou, no pior cenário, cancro do ovário. Um resfriado pode ser responsável por uma tosse persistente, mas até poderia ser asma na idade adulta, com aperto no peito. Depois dos 50 anos, as mulheres devem ser examinadas regularmente para o cancro de mama, cancro de colo do útero, cancro colorectal, depressão, tensão alta, colesterol alto e osteoporose.

 

Exercício e longevidade

Exercício após os 40

(o segredo para os homens e as mulheres viverem mais e melhor)

Parece que surgem novas investigações todos os dias sobre os benefícios do exercício físico para prolongar o tempo de vida e também para a melhoria da qualidade desta nestes últimos anos. Segue-se um exemplo das conclusões apuradas.

Quem tem ‘genica’ aguente-se mais tempo

Um estudo recente mostra que depois dos 65 anos, um forte indicador da longevidade será a velocidade da caminhada. Quem ainda consegue acelerar depois dos 75 terá ainda melhor hipótese de viver mais.

Fazer aeróbica e manter mais tecido cerebral

Os investigadores apuraram que, com exercício físico, especialmente de tipo aeróbico, se reduz a perda de tecido cerebral nos adultos maduros.

Exercícios de equilíbrio ajudam a envelhecer com graciosidade

O exercício ligeiro, como, por exemplo, o yoga e o tai chi, aumenta o equilíbrio, diminuindo a propensão para as quedas e complicações que são uma importante causa de morte.

Os seniores activos parecem anos mais jovens do que os amigos sedentários

Fazer exercício 30min por dia, 5 vezes por semana, pode fazer-nos parecer muitos anos mais novos do que a idade que temos.

A resistência dá força para viver mais

Investigadores da Universidade de Michigan publicaram um estudo em como, passada uma média de 18 a 20 semanas de treino de resistência progressiva, um adulto pode acrescentar 1kg de músculo magro à massa corporal e aumentar a força global em 25 a 30%. É significativo porque, sem treino proactivo, os adultos envelhecidos perdem massa muscular e força.

Quanto maior a força muscular, menos o risco de doença de Alzheimer

Segundo a investigação do Centro Médico da Universidade de Rush, em Chicago, quem tem músculos mais fracos parece ter maior risco de sofrer de doença de Alzheimer e declínio na função cognitiva ao longo do tempo.

Quem faz exercício abranda o relógio biológico

O exercício físico melhora a manutenção dos telómeros, pois aumenta a actividade da enzima telomerase que constróis e repara os telómeros. Estes são o componente dos cromossomas que controla o envelhecimento. Representam o relógio biológico. A prática regular de exercício físico tem outros benefícios, entre os quais: controlar melhor o stress; comer alimentos saudáveis; dormir mais e melhor; aumentar a circulação; ganhar células cerebrais novas; melhorar a potência cerebral; adiar a perda de memória e a demência; proteger de lesões cerebrais; mexer-se para ser mais feliz; melhorar o humor; combater a depressão; acalmar a ansiedade; melhorar a sexualidade.

Por Daniel G. Amen, neurocientista clínico, psiquiatra e autor do livro Mude de Cérebro, Mude de Idade (Pergaminho)
Fonte: Livro Mude de Cérebro, Mude de Idade, Dr. Daniel G. Amen (Pergaminho)

 

‘Genica’ depois dos 40

Alguns estudos realizados na Escócia concluíram que fazer amor 3 vezes por semana pode proporcionar-nos o aspecto de uma pessoa mais jovem! Os cientistas entrevistaram 3500 homens e mulheres europeus e americanos, durante 10 anos, quanto a uma variedade de tópicos sobre modos de vida. Os participantes tinham entre 20 e 104 anos, mas a maioria estava entre os 45 e os 55.

O ponto que este grupo tinha em comum era a aparência mais jovem do que a idade, segundo um júri composto por 6 jurados que observaram os entrevistados por um espelho semitransparente. Os jurados voluntários tentaram adivinhar as idades dos participantes e os seus palpites ficaram 7 a 12 anos abaixo da idade verdadeira. A vida sexual vigorosa, segundo este estudo, foi a segunda característica determinante mais importante na aparência jovem de uma pessoa. Apenas a actividade física se revelou mais importante do que o sexo no controlo do envelhecimento.

 

Cuidados contra o envelhecimento da pele

Protector solar e limpeza da pele são indicações dos dermatologistas.

Nunca é tarde para cuidar da pele. Na faixa etária dos 40 anos, é comum aparecer manchas, rugas e flacidez, males que podem ser amenizados ou evitados com o uso de produtos adequados e algumas práticas que não podem ser deixadas de lado. «Cuidados essenciais como beber muita água, não fumar, manter uma alimentação equilibrada, não abusar de bebidas alcoólicas, praticar exercícios e evitar o stress também devem ser lembrados quando o assunto é banir o evelhecimento», diz o dermatologista Mário Chaves.

Veja as recomendações dos especialistas e mantenha a pele jovem e saudável.

Não deixe o protector solar

De acordo com o dermatologista Murilo Drummond, usar protector solar nunca foi tão importante quanto nesta idade. «Qualquer excesso de exposição ao Sol pode prejudicar a pele da mulher acima dos 40 anos, porque ela está mais sensível às acções do envelhecimento», diz. Rugas, manchas e até cancro da pele podem ser evitados com o uso diário do protector. (Se quiser saber que protector solar natural e orgânico comprar, consulte o guia disponível na página da EWG ou vá a www.e-naturima.com, onde encontra protectores solares vegan, livres de glúten e com fórmulas protectoras que impedem os danos dos radicais livres e combatem os efeitos do envelhecimento gerado pela exposição ao Sol e poluição. Se quiser, pode também ler o artigo ‘Protectores solares naturais’, publicado na edição nº 3, do Especial Vida e Saúde Natural).

Retire sempre a maquilhagem antes de dormir

Não importa a idade: muitas mulheres têm preguiça de retirar toda a maquilhagem antes de dormir e aplicar loções tónicas. Mas, após os 40 anos, esse ritual deve ser seguido à risca em qualquer caso, pois a pele está mais sensível a descuidos. «Dormir com a maquilhagem pode deixar manchas e marcas com facilidade, pois o cosmético irá entupir os poros, impedindo a pele de respirar», afirma o dermatologista Murilo. Aplique o desmaquilhante com um algodão, lave o rosto para retirar a oleosidade e use apenas produtos adequados para o seu tipo de pele.

Manchas na pele? Invista nas vitaminas

Se tem a pele manchada pela acção do Sol ou do tempo, saiba que o problema pode ser resolvido com cosméticos ricos em vitamina C e vitamina E, ou mesmo a ingestão desses nutrientes. «As vitaminas clareiam manchas e combatem os efeitos do fotoenvelhecimento, aquele causado pela exposição ao Sol», afirma o dermatologista Carlos Rodrigo Miranda. «Elas também estimulam a produção de colágenio, mantendo a pele firme e com menos rugas», completa. Mas, lembre-se sempre de consultar um dermatologista antes de comprar qualquer produto. Boas fontes de vitamina C são abacaxi, agrião, laranja, limão, quivi, rúcula, e espinafre. Já a vitamina E pode ser encontrada em alimentos como gérmen de trigo, óleos vegetais, gema de ovo e vegetais folhosos.

Produtos anti-idade contra flacidez

É importante que o creme anti-rugas para essa idade tenha: acção tensora, que ajuda a manter a pele mais firme; as vitaminas já citadas e a vitamina A. (Hoje em dia, existe cada vez maior procura por cosméticos naturais, biológicos e não testados em animais. Saiba mais no artigo ‘Cosméticos Naturais… não testados em animais’, publicado na edição nº 1, do Especial Vida e Saúde Natural).

Faça uma limpeza de pele mensalmente

A limpeza de pele faz a desobstrução dos poros, deixando a pele respirar melhor e evitando pequenos caroços e imperfeições que ficam mais visíveis nesta época. «Este cuidado promove a renovação da pele, retirando a camada com manchas, acne, oleosidade e células envelhecidas», diz o dermatologista Carlos.

Não se deixe levar pela publicidade

Muitos produtos são lançados constantemente pela indústria farmacêutica com promessas de combater o envelhecimento. De acordo com os especialistas, muitas dessas novidades não têm comprovação científica e devem ser encaradas com cuidado. Além disso, é importante que saiba ler os rótulos dos produtos de beleza. A melhor forma de distinguir os produtos verdadeiramente naturais é ler a lista de ingredientes que consta nos rótulos. Ao ler os rótulos dos cosméticos tenha em atenção que os ingredientes estão ordenados por ordem decrescente, ou seja, os que estão no topo da lista são os que se encontram em maior quantidade no produto. Assim, se os primeiros ingredientes forem químicos, não se trata de um cosmético tão natural quanto possa aparecer. Existem também vários ingredientes a evitar, como os parabenos, o Sodium Lauryl (ethr) Sulphate ou os óleos minerais (derivados do petróleo).

Respeite o tempo e a frequência de uso dos produtos

O dermatologista receitou? Siga as instruções à risca. Não adianta sair do consultório com uma lista de produtos e não usá-los na quantidade, tempo e horário correctos. «Exagerar no uso desses produtos pode causar irritação e descamações excessivas na pele, podendo levar até ao aparecimento de queimaduras», alerta o dermatologista Carlos. «Ao passo que usar menos ou saltar alguns dias fará com que não obtenha os efeitos desejados, desperdiçando tempo e dinheiro.»

Mais artigos sobre o tema “mulheres” no nosso site.

Anterior Orgulhe-se da mulher que é hoje - Recorde o quanto lutou para chegar até aqui
Seguinte Mulheres: líderes eficazes no combate à pandemia