Nutrientes alimentares como prevenção e tratamento


Asthma, COPD and respiratory relieving health food with herbs and spices used in herbal medicine. High in antioxidants, anthocayanins, protein, omega 3, minerals and vitamins. Flat lay.

Dados científicos e informação validada

Este não é mais um artigo sobre alimentos funcionais. Penso que esse tema tem sido tão debatido quanto vulgarmente usado, e assim tantos alimentos têm sido escrutinados, muitas vezes servindo apenas para “publicitar os alimentos da moda”! Aqui, a “história” é outra.

Vou falar de nutrientes presentes em alimentos que podem ser usados na prevenção e tratamento da “Corona Virus Disease 2019” (Covid-19. Para entendermos a real importância dos nutrientes alimentares como prevenção e tratamento na Covid-19, é importante resumir o mecanismo que o vírus Sars-cov-2 assume quando entra no organismo humano.

Ao penetrar nas vias respiratórias, o vírus Sars-cov-2 liga-se a células dos nossos alvéolos pulmonares e começa a reproduzir-se. Após instalar-se a infeção viral, são ativadas células do epitélio alveolar pulmonar, dos macrófagos e dos monócitos que circulam no sangue por meio de recetores chamados Toll-like ou recetores padrão.

Estas células produzem uma grande quantidade de citocinas. As citocinas são “proteínas de defesa” produzidas nos “anticorpos” como os linfócitos, macrófagos, monócitos e leucócitos, e têm a função de “combater agentes estranhos” ao nosso organismo (Shintaro Hojyo, 2020). Estas células possuem a capacidade de libertar mais do que uma única citocina e podem atingir diferentes tipos de tecidos celulares (TIZARD, 2009). São também produzidas quimiocinas inflamatórias que atraem mais células imunitárias ao local, em especial os monócitos e as células T, resultando numa inflamação pulmonar generalizada.

Os nossos aliados

Análises pós-morte do soro sanguíneo de pacientes Covid-19 revelam níveis elevados de interleucinas produzidas pelos anticorpos, sugerindo que a Covid-19 é uma SRC – uma síndrome de libertação de citocinas – “tempestade de citocinas” – ou seja, uma grave inflamação do pulmão que provoca várias complicações, o seu edema, a necessidade do uso de ventiladores, bem como a possível morte. Como forma de providenciar tratamento complementar ao tratamento médico, por via da nutrição funcional, destacam-se alguns alimentos e nutrientes: Selénio, Vitamina D, Pré e Probióticos, Zinco.

Selénio. Micronutriente mais apelidado por mineral, presente nos solos, e em maior quantidade em zonas da Europa onde há mais atividade vulcânica. O Selénio deve ser suplementado, mas também pode ser encontrado em: castanha-do-brasil (do Pará), fígado, ovos, salmão, aveia, entre outros. Pode ser útil no seguimento de doenças da tiroide. Como protetor, o Selénio é conhecido por:

  • Aumentar a capacidade do sistema imunitário (Linfócitos T)
  • Diminuir o stress oxidativo (inflamação)
  • Impedir mutações no genoma viral
  • Diminui a virulência numa infeção

 Vitamina D. De acordo com uma revisão científica da Nutrients, por William B. Grant, a suplementação de Vitamina D pode reduzir o risco de infeção e morte por Covid-19. A Vitamina D é maioritariamente fabricada pelo organismo, representando cerca de 90% das nossas necessidades, e ocorre por contacto da pele com os raios solares. Podemos encontrar Vitamina D em: atum, sardinha, ovo, cogumelos e iogurte, assim como em alimentos fortificados com a mesma. A Vitamina D é capaz de:

  • Baixar as citocinas inflamatórias
  • Agir como um imunomodulador
  • Contribuir para a diferenciação de macrófagos (anticorpos)
  • Contribuir para o controlo da hipertensão em caso de Covid-19

Pré-bióticos. “Ingredientes” presentes em alimentos que contribuem para o aumento de bactérias benéficas ao organismo. São normalmente substâncias fermentáveis presentes nos cereais, legumes e fruta, como a aveia, batata-doce, grão-de-bico, espargos selvagens, maçã, banana, entre outros. Os Pré-bióticos são capazes de diminuir a inflamação e equilibrar o organismo por:

  • Auxiliarem o metabolismo das “gorduras”
  • Promoverem a absorção de cálcio, ferro e magnésio
  • Estimularem a produção de imunoglobulinas A
  • Modular o perfil das citocinas

Probióticos. Microrganismos (bactérias, bifidobactérias, entre outros) vivos que, quando administrados através de alimentos ou de suplementação, são capazes de conferir benefícios à saúde. Podemos encontrar Probióticos em alimentos como iogurtes com Lactobacillus casei, entre outros. Estes agentes são capazes de:

  • Induzir a produção de substâncias, naturais, antibióticas no intestino
  • Antagoniza bactérias patogénicas
  • Estabilizar sais biliares
  • Colonizar beneficamente o intestino, aumentando as nossas defesas

Zinco. É o segundo mineral mais existente no organismo e assume um papel fundamental na sua proteção. Em situação de doença devemos suplementar o Zinco, mas também conseguiremos encontrá-lo em fígado de frango, peru, sementes de abóbora, amendoim, entre outros. O Zinco é capaz de:

  • Estimular a enzima Superóxido-dismutase, na eliminação de radicais livres
  • Inibir a enzima de multiplicação dos vírus RNA (Sars-cov-2 da Covid-19)
  • Inibir a polimerase RdRp de vírus RNA impedindo que se multipliquem

Assim, podemos revelar uma “estratégia infalível”, que contribui significativamente para a prevenção e tratamento da doença Covid-19:

    • Praticar alimentação saudável com nutrientes funcionais
    • Atuar de forma consciente para diminuir o stress diário
    • Contrariar ativamente o sedentarismo
    • Praticar uma exposição solar adequada e regular
    • Respeitar os ritmos circadianos e dormir com tempo e qualidade
    • Cuidar da microbiota (flora bacteriana corporal)
    • Evitar fontes de toxicidade para o organismo (tabaco, drogas, “alimentos de pacote”)
    • Evitar o prolongado isolamento social, afetivo e emocional

João Lacerda
Nutricionista
www.drlacerda.com

Anterior Imunidade e prevenção - 4 pilares da saúde
Seguinte Feng Shui - Como a energia flui nas nossas casas