Orgulhe-se da mulher que é hoje – Recorde o quanto lutou para chegar até aqui


portrait of a beautiful girl with a Daisy in her hands, beautiful make-up

Sempre que uso este exercício na minha vida, eu surpreendo-me ao ver o quanto ele é poderoso. Esta foi uma das primeiras frases que pus na minha página Empodere Duas Mulheres, há mais de três anos, e ela faz-me sempre lembrar de quem sou e de tudo o que fiz para chegar até aqui, sobretudo porque me relaciona diretamente com aquela pessoa que pôs a frase pela primeira vez.

 

Essa mesma pessoa ainda vive em mim e continuamos ligadas de alguma forma, apesar de todas as mudanças e aprendizagens adquiridas desde então. Não se sinta mal ou culpada se ainda não conseguiu amar-se ou aceitar-se totalmente. Amor-próprio e autocompaixão fazem parte de uma jornada, então aprecie quão longe chegou e tudo o que a fez ser quem é.

Obviamente amadureci bastante e trabalhei muitas questões internas, mas esta frase tem a capacidade de me transportar para o meu passado e me fazer respeitar quem eu fui, porque aquela pessoa foi importante para que eu me tornasse quem sou hoje. Por mais que haja momentos em que nos questionamos sobre as nossas atitudes ou, em que não estejamos totalmente felizes connosco (ainda a almejar evoluir ou chegar a outro patamar nalgum quesito específico), é importante de alguma forma orgulharmo-nos de quem somos hoje.

 Aprecie as suas conquistas

Todas temos falhas, facetas das quais não nos orgulhamos, necessariamente, e que gostaríamos de melhorar, ou até podemos estar em situações com as quais não nos sentimos completamente satisfeitas, mas o que importa é que chegámos até aqui. É como se estivesse a subir uma montanha e, apesar de ver que ainda faltam muitas pedras a ser escaladas para chegar ao cume, conseguisse olhar para baixo e reconhecer o quanto já progrediu desde o primeiro momento em que se propôs chegar ao topo e a lançar-se ao desafio.

Ou mesmo pensar que precisou de coragem só para decidir subir o caminho, sem saber o que esperar, sem um destino exato e preciso, e isso tem valor. Pode estar ofegante na subida, ainda a pensar que falta muito para chegar ao final, mas tente apreciar as suas conquistas até àquele momento e assim aproveitar o caminho. Olhar para baixo pode motivá-la mais do que olhar para cima e lamentar-se pelo que ainda tem de enfrentar.

 Respeite o caminho que já trilhou

Imagine também que está a contar a sua história a outra pessoa. O que acha que ela diria, de um modo positivo e carinhoso? Tente pensar como é importante que a sua narrativa seja abraçada por alguém que diga: “Estou orgulhosa de ver que, apesar de tudo o que lhe aconteceu, encontrou a sua própria maneira de lidar com os seus problemas e chegou até aqui a fazer o que era possível. Independentemente do que tenha feito, completou o desafio diário até aqui e sobreviveu para olhar para trás e poder contar essa história.”

É claro que nem sempre temos condições de abraçar totalmente o nosso potencial e explorar todas as possibilidades o tempo inteiro, simplesmente porque às vezes não temos energia emocional suficiente para nos ajudar a lidar com tudo o que acontece. Mas, se seguiu o passo anterior e deu o seu melhor, conseguirá mais facilmente orgulhar-se da sua própria história e de quem é hoje.

Nos momentos em que não estou muito bem, orgulhar-me de mim mesma dá-me um poder mágico de relembrar rapidamente tudo o que já vivi, além de fazer com que eu crie um respeito pelo caminho que trilhei — afinal, mesmo com dias maus e sem tomar as decisões “ideais” sempre, fiz o que estava ao meu alcance. A condição de ser mulher passa, todos os dias, por resistência e luta. Orgulhe-se da mulher que é hoje, porque lutou e resistiu para tornar-se ela!

Empodere-se! Recorde o quanto lutou para chegar até aqui

Fanucci, Maynara (2019) Empodere-se! Oficina do Livro | Facebook Empodere Duas Mulheres.

Mais artigos sobre o tema “mulheres” no nosso site.

Anterior Folha D'Água: Campanha do dia da Mulher
Seguinte Guia de mulheres para a saúde e beleza após os 40