Tratar a enxaqueca – Truques naturais que garantem maior alívio


Young woman enjoying facial at spa salon

A enxaqueca é um dos tipos de cefaleias (dores de cabeça) mais comuns e prevalentes. Caracteriza-se por uma dor forte e pulsátil, normalmente de um só lado da cabeça (embora possa ser global) e acompanhada de náuseas, vómitos, intolerância à luz e aos ruídos.

Os sintomas podem durar algumas horas ou vários dias, o que a torna uma condição altamente incapacitante. Os analgésicos continuam a ser a primeira escolha para o tratamento da enxaqueca e, em determinados casos, são mesmo necessários. No entanto, há outras formas de tratar a enxaqueca, de forma mais natural, evitando o consumo de doses excessivas de medicação.

Estratégias naturais para o alívio dos sintomas da enxaqueca

  • Descansar num local escuro e silencioso. A enxaqueca provoca intolerância à luz e ao ruído, sendo praticamente impossível continuar a fazer o que quer que seja. Assim sendo, o melhor a fazer, se tiver essa possibilidade, é deitar-se ou sentar-se num local escuro e sem ruído, sem telefone ou computador por perto, e tentar relaxar ao máximo. Peça, inclusive, para não ser incomodado.
  • Tomar um banho quente.
  • Aplicar compressas frias na testa e têmporas. A água fria, ao provocar a vasoconstrição (contração dos vasos sanguíneos) irá diminuir a sensação pulsátil provocada pela enxaqueca e também a dor.
  • Massagem leve nas têmporas e na nuca.
  • Exercícios de respiração.

  • Óleos essenciais. Podem ser inalados ou utilizados numa massagem. Os óleos mais aconselhados para
    a enxaqueca, devido às propriedades analgésicas e anti-inflamatórias, são os de eucalipto, alecrim, gaultéria e abeto.
  • Beber um chá com propriedades analgésicas. Os melhores chás para ajudar no alívio da dor são os de camomila, hortelã, capim-cidreira
    e gengibre.

Tratar enxaquecas

 

Meios de prevenção

Apesar de a enxaqueca ser uma dor primária, que surge por si só, existem fatores que influenciam a periodicidade e duração das crises. Logo, o primeiro passo é evitar ou minimizar esses fatores desencadeantes (stress, ansiedade, hábitos nocivos como o álcool ou o tabaco, sono inadequado). Depois, podemos adotar alguns hábitos que, indiretamente, também acabam por ajudar.

  • Terapias complementares. Destaco o Reiki,
    a Acunpuntura e a Terapia Sacro-Craniana, cujos efeitos no tratamento da enxaqueca estão mais do que comprovados.
  • Exercício físico moderado. Exercício físico intenso não é aconselhado para quem sofre de crises de enxaquecas frequentes, devido ao esforço e tensão em demasia. Caminhadas, Pilates ou alongamentos são ótimas alternativas.
  • Sono. O sono de qualidade é importante e fundamental para o equilíbrio em todas as áreas da nossa vida. Noites mal dormidas são um dos principais gatilhos para desencadear uma crise de enxaquecas, por isso vale a pena refletir sobre a qualidade do seu sono.
  • Alimentação. Outra das bases para prevenir muitos problemas de saúde. Deve tomar consciência
    da sua alimentação e reduzir o consumo de sal, açúcar e
    processados, dar preferência aos vegetais e frutas, aumentar
    a ingestão de água e respeitar os tempos do seu organismo.
  • Um último conselho: não se automedique. Se acha que precisa mesmo de um analgésico, fale primeiro com o seu médico ou enfermeiro de família, para que lhe recomende aquele que mais se adequa ao seu caso.

Cada caso é um caso, o que pode funcionar para algumas pessoas pode não funcionar para outras. Tenha atenção aos sintomas e àquilo que o seu corpo lhe diz.

Por Catarina Vasconcelos
Enfermeira de Saúde Integrativa
Terapeuta Sacro-Craniana e Terapeuta holística com formação em Reiki, Mesa Radiónica Quântica, Meditação
catarinatvoliveira@gmail.com
https://serenamente.pt/

Anterior O poder das afirmações positivas - Simples frases que podem mudar a sua vida
Seguinte Parabéns